Ansiedade

Photo by Pixabay from Pexels

As emoções estão presentes no ser humano desde os primórdios da criação, colocadas por Deus o Criador. Elas expressam externamente o que sentimos internamente, ou seja, nosso corpo manifesta o desejo de nossa alma que por sua vez é o que nos constitui como o EU (ego),  tudo o que nos faz sermos humanos, é o centro do intelecto, emoções, razão, sentimentos, e no que diz respeito ao sentimento, atentemo-nos para a ansiedade. A psicologia salienta que a angústia, aflições ou ansiedade podem causar perturbações físicas, sendo algo real que é próprio da condição humana.

A psicologia frisa que a ansiedade pode criar perturbações físicas. Realmente existem as doenças psicossomáticas. O existencialismo, dentro da filosofia, muito se vale da ansiedade, referindo-se a ela como inerente à condição humana, pois, de fato, há muita coisa que nos deixa ansiosos. (ENCICLOPÉDIA de BÍBLIA, TEOLOGIA & FILOSOFIA, 2013. P 177) 

Olhando pelo âmbito religioso, desde a desobediência e queda do homem, toda a criação sofreu os efeitos colaterais de tal ato desencadeando uma série de abismos morais, intelectuais, físicos e emocionais. A degradação emocional gera o que se chama de doenças psicossomáticas (psique=alma) e (soma= corpo), que são doenças de origem emocionais (alma) que refletem no corpo (soma) dentre as quais tem-se a ansiedade.

μεριμνάω—1. ter ansiedade, estar ansioso, estar (indevidamente) preocupado Mt 6.25, 27s, 31, 34a; 10.19; Lc 10.41; 12.11, 22, 25s; Fp 4.6.—2. Cuidar, preocupar-se Mt 6.34b v.l.; 1 Co 7.32- 34; 12.25; Fp 2.20. * (Léxico do N.T Grego/Português 2012. P 133) 

Ainda que a ansiedade manifesta uma preocupação, o sentido em sua língua original não deixa de ser ansiedade, que é uma aflição excessiva a respeito de alguma situação envolvendo o cotidiano do homem devido a precariedade terrena, sobre o sentido da palavra observa-se: 

1 Sofrimento físico e psíquico; aflição, agonia, angústia, ânsia, nervosismo. 2 PSICOL, estado emocional frente a um futuro incerto e perigoso no qual um indivíduo se sente impotente e indefeso. 3 FIG, desejo ardente ou veemente; anelo. 4 Sentimento e sensação de intranquilidade, medo ou receio. (Dicionário Michaelis. 2020).

Qualquer preocupação excessiva, aflição ou angústia que altere o estado normal psicológico e emocional pode-se denominar de ansiedade. Embora faça parte da vida, seu excesso não coaduna com o que a bíblia apresenta sobre Cristo e sua obra, considerando que preocupação difere de ansiedade, que em qualquer grau apresenta uma falha espiritual quanto a fé.

[…] quanto a uma forma radical de ansiedade. A emoção da ansiedade, comum a todos os homens devido à precariedade da vida terrena, pode ser evitada pela fé, desde graus menores até um grau absoluto, dependendo da qualidade espiritual do momento. (ENCICLOPÉDIA de BÍBLIA, TEOLOGIA & FILOSOFIA, 2013. P 177) 

A natureza caída procura encontrar lugar na alma do homem trazendo sentimentos pertencentes a sua queda e uma negligência espiritual pode ser o lugar de entrada para a ansiedade. Ela nega essencialmente o poder e a providência de Deus, uma vida ansiosa reflete a natureza caída, isto é, que não experimentou a provisão de Deus, ou uma negligência em uma comunhão ativa com Deus. 

Jesus ensina a não andar ansioso por nada pois a realidade de Cristo não anda em unidade com as aflições causadas pela queda do ser humano. 

Por isso vos digo: não fiqueis ansiosos por quanto á vossa vida, com o que comereis, ou com o que bebereis; nem, quanto ao vosso corpo, com o que vestireis. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? (BIBLIA SAGRADA ALMEIDA SÉCULO 21, 2010. P 1328) 

Jesus coloca as principais necessidades do homem em pauta neste texto, comida, bebida e roupas e todos estes pontos, se vê claramente uma ordem imperativa, não andeis ansiosos e a partir deste ponto traz a consciência humana a importância de se estar bem consigo, ou seja, que suas emoções estejam em ordem. 

[…]a vida é mais do que o alimento e o corpo mais importante que o vestuário[…] (BIBLIA SAGRADA ALMEIDA SÉCULO 21, 2010. P 1328) 

Observa-se um chamado à harmonia psicológica, emocional e física do ser humano, não há uma necessidade de andar ansioso ou aflito com situações do cotidiano haja vista que Cristo redimiu toda a criação retirando toda culpa causada pela queda, o desejo de Deus é conduzir todo homem a liberdade de suas mazelas e em Cristo há a liberdade dos anseios humanos.

No trecho de Mat. 6:25-34, Jesus mostra razões pelas quais a ansiedade não se coaduna com a vida cristã, porque ela nega essencialmente o poder da providência de Deus. I Pedro 5:7 encerra uma afirmação bem conhecida contra a ansiedade: “lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”. Não temos necessidade de viver ansiosos, porque Deus anela por nós. (ENCICLOPÉDIA de BÍBLIA, TEOLOGIA & FILOSOFIA, 2013. P 177) 

Pedro dá um norte mostrando que Jesus tem poder para suportar os anseios da humanidade, Deus não só é o criador de todas as coisas mas interage com o universo e por este motivo é capaz de livrar os homens de suas angústias e dar refrigério para suas almas.

REFERÊNCIAS: 

BÍBLIA SAGRADA ALMEIDA SÉCULO 21: Letra grande. 1° edição – São Paulo: Vida Nova, 2010 

CHAMPLIN, N.R. Enciclopédia De Bíblia Teologia E Filosofia. São Paulo, SP, VOLUME 1: Editora Hagnos, 2013. 

GRINGRICH, F. Wilbur. Léxico do novo testamento: grego, português. Revisão: Frederick W. Danker; tradução: Júlio P.T. Zabateiro – São Paulo: Vida Nova, 2012 

Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=ansiedade Acesso em: 30/1/2020